Segunda-feira, 19 de Junho de 2006

Operação Gaivota 2006

Diz-se que a Operação Gaivota 2006 (raio de nome de código!) colocou 15 000 GNR's a assegurar a boa ordem dos exames nacionais. E nós a pensar que era por causa das agressões a professores.

publicado por António Luís Catarino às 19:50

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 11 de Junho de 2006

Que cansaço é este?

Que cansaço é este que nos leva a parar um país que gosta de se ver como joga mal?

publicado por António Luís Catarino às 21:57

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 7 de Junho de 2006

Assassino de Vítor Jara foi encontrado. Vamos infernizar-lhe a vida.

Recebi, através do blog Pimenta Negra, a enorme alegria (misturada, também, com algum asco), a notícia da descoberta do assassino de Vítor Jara. Onde ele trabalha, os seus números de telefone, a sua morada e o seu mail. Dois pensamentos: nunca é tarde para apanhar os cobardes que fizeram da morte de Vítor Jara a simbologia do terror de estado e que nos deixaram imensamente revoltados na altura. Faltará Pinochet, é certo, mas nunca se sabe... O segundo pensamento tem a ver com o descanso do verdugo atrás de uma secretária de trabalho no...Misistério do Trabalho do Chile! Sempre o Trabalho o justificar as maiores barbaridades. Lembram-se de Auschwitz e do famoso o Trabalho Liberta?

No passado dia 25 de Maio de 2006, 5ª feira, cerca de 300 pessoas, assistiram à FUNA do ano ( ver a explicação abaixo sobre o que é a FUNA).


Este ano o visado foi o assassino do cantor Victor Jara. Recorde-se que este músico chileno foi preso, torturado e assassinado no Estádio de Santiago do Chile, aquando do golpe militar de Pinochet em 1973 que instaurou uma ditadura sanguinária.


Segundo constam testemunhas presentes Victor Jara foi vítima de torturas cruéis: cortaram-lhe as mãos como vingança pelo facto do músico continuar a tocar a sua guitarra, mesmo depois de ter sido detido e preso dentro do Estádio convertido em enorme campo de detenção pelos militares golpistas.
Não contentes pelos seus actos, os torturadores de Victor Jara alvejaram-no com 44 tiros. O executor deste assassínio foi Edwin Minter Bianchi, também conhecido por «príncipe» e que na altura dos acontecimento era tenente do exército, e tinha a máxima confiança dos generais golpistas.


Durante décadas, Edwin Dimter conseguiu esconder a sua identidade, graças ao encombrimento dos seus antigos camaradas de armas.
Nenhum dos 5 mil presos, que foram encerrados no Estádio do Chile logo depois do golpe de estado militar de Pinochet de 1973, esqueceram, no entanto, esta sinistra figura que não hesitou em alvejar com 44 tiros Victor Jara, músico chileno muito popular, cujas canções se tornaran mundialmente conhecidas.
Era conhecido pela sua presunção e vanglória e não se cansava de insultar e provocar os prisioneiros.Tinha ingressado em 1979 na escola militar juntamente com Armando Fernández Larios, Augusto Pinochet Hiriart y Óscar Izurieta Ferrer. Logo depois seguiria para o Panamá com mais de 100 oficiais chilenos a fim de receber um «curso de aperfeiçoamento» na Escola das Américas, controlada pelas forças armadas dos Estados Unidos.
Em 1985 entrou para o Minstério das Obras Públicas e começou, incógnito, a fazer carreira de funcionário público sempre gozando da maior impunidade.


O assassino trabalha hoje no Ministério do Trabalho como chefe do departamento de controle das instituições de superintendência da AFP, num edifício situado na avenida Huerfanos 1273, e tem como e-mail edimte@safp.cl e os seus telefones são 7530400, e 7530401.

Para mais informação: aqui, aqui, aqui

LA FUNA tem como objectivo realizar «visitas» aos criminosos e aos torturadores quer em sua casa quer no seu local de trabalho, visitas que são acompanhadas com muito ruído de batuques e danças, cartazes e lenços, panfletos e improvisações, de forma a que os colegas de trabalho ou os vizinhos do visado passem a conhecer o que este fez contra os chilenos e chilenas durante a ditadura.

Esquecer significa pôr de lado, minimizar os actos de violência política, permitir e promover que tais actos continuem a acontecer. Todo aquele que esquece torna-se com a sua indiferença cúmplice dos crimes.

LA FUNA existe para derrotar o esquecimento, superar a indiferença social, acabar com a impunidade e defender a Verdade, a Justiça e a verdadeira Democracia.
Queremos reconstruir a história do que se passou a fim de transformar o presente e entregar aos que vierem um futuro digno para se viver.

A melhor homeagem aos que caíram é continuar a lutar por aquilo que aqueles companheiros deram a vida.
Se não há Justiça, há FUNA !!!


 

http://www.funachile.cl/

A melhor homenagem é continuar a combater
Para os torturadores, assassinos e seus cúmplices:

Nem esquecimento, nem perdão!



Acima, a fotografia do assassino de Victor Jara na passada semana, furioso por ter sido desmascarado no seu gabinete em Santiago do Chile
publicado por António Luís Catarino às 12:58

link do post | comentar | favorito
|

.Janeiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Os jornais descem de audi...

. Morte de Pinochet

. Ruben de Carvalho e o mal...

. Bolas de ténis no ar

. Archie Shepp na Casa da M...

. Ratzinger ou Bento XVI, v...

. Consensos deste país

. A Bela e o Major

. A Liga

. Incompreensões

.arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.mais sobre mim

.subscrever feeds