Segunda-feira, 30 de Maio de 2005

NON!

rouge.jpg

«Nos vies valent plus que leurs profits!»: a lição francesa para o NON! de 29 de Maio.
publicado por António Luís Catarino às 13:42

link do post | comentar | favorito
|

NEW ORDER

new order.bmp

Estiveram em Lisboa no dia 28. Senti-os nos Joy Division e em Ian Curtis. "Transmission", "She's lost control", "Love will tear us appart", "Atmosphere". Não é costume mas aqui vai um extracto de um artigo de Cláudia Luís: «A actuação dos britânicos assumiu especial deslumbre na segunda parte do concerto, num crescendo incontrolável de emoções que atingiria o seu êxtase já no 'encore', com a já referida "Atmosphere" - arrepio generalizado a serpentear uma multidão de cerca de 26 mil; na noite de abertura o festival registou 30 mil - e, claro, "Blue monday". Antes disso, Bernard Sumner fez referências ao seu Manchester United, Peter Hook - mais obeso e cabeludo - ziguezagueou pelo palco com o seu belíssimo baixo, e não faltaram alusões a triângulos e tentações amorosas ("Bizarre love triangle", "Temptation") ou uma fé genuína ("True faith"). Já agora, quantos músicos conseguem dedicar aquele tema, "Love will tear us appart", àquele fã destacado da multidão e afastar dúvidas sobre o conceito fácil de 'showbizz'? Hook. O momento não foi barroco, antes emocionante. Para todos. Músicos incluídos.»
publicado por António Luís Catarino às 12:19

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 27 de Maio de 2005

JOSHUA SLOCUM, O primeiro Viajante Solitário.

JSlocum.gif

Vale a pena ler Joshua Slocum comandante de veleiros e amigo de Jack London. Nascido a 1848, na Nova Escócia, morreu em 1909 em pleno mar-alto, sem que se saiba como e sem que se tenha recuperado o corpo. Vida cheia, nunca se adaptou à terra-mãe e à agricultura como a cultura quacker do seu pai exigia. A leitura da viagem que fez à volta do mundo vale como uma grande obra literária que só os mais puristas recusam reconhecer. Leia-se a parte em que ele chega aos Açores, vendo a Ilha do Pico e o Faial, e percebe-se a enorme simpatia pela gentes ao mesmo tempo que destila a sua antipatia pela burocracia portuguesa que lhe iam dando cabo do seu belíssimo Spray, ao exigir que fosse um comandante sem experiência a manobrar o veleiro para o acostar. A troco de uns míseros tostões de taxa portuária. Vale a pena ler. Está editado pela Europa-América.
publicado por António Luís Catarino às 15:31

link do post | comentar | favorito
|

2000 EXILADOS GALEGOS (1936-45)

letrasgalegas2005.jpg

Uma história ainda por contar. Entre 1936 até ao final da II Guerra, contam-se as etapas da fuga de galegos para lugares de acolhimento, se se pode chamar isso a Portugal de Salazar e a Marrocos. Em fuga ao franquismo que os reprimiu brutalmente (há quem defenda que na Galiza não existiu Guerra Civil, mas antes os tristemente célebres «passeos») e, mais tarde, a uma guerra que se eternizava mundialmente e onde a tirania parecia ganhar espaço. São nestes «pequenos» exílios que também se conhece, em toda a sua dimensão, a barbárie.
publicado por António Luís Catarino às 15:00

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Maio de 2005

UM JOGO CONSISTENTE

disfuncionais.jpg

«Pessoas como Nós» de Margarida Rebelo Pinto. Um capítulo promocional distribuído à saída da Fnac. Pega-se nele com muito cuidado. Folheia-se e encontra-se «...um casal desfuncional» (sic). Vai-se ao Google e pesquisa-se «desfuncional»: o G. responde que o que eu quereria, talvez, dizer era «disfuncional». Clico na pesquisa. A deriva das palavras dá-me a imagem de disfuncional. Mostro-a no post. Um jogo consistente.
publicado por António Luís Catarino às 14:45

link do post | comentar | favorito
|

À DERIVA NO PARQUE DA CIDADE

parque_porto.jpg

Sentamo-nos na parte Este do parque e olhamos de frente o sol, diante do lago. A deriva serve-se não muito quente ou muito fria. Andamos ao som da água até ao Sul, via Foz e Castelo do Queijo. Um café na esplanada e lemos um jornal de preferência daqueles que não se pagam na edição on-line. Voltamos ao Leste e trocamos as voltas à deriva.
publicado por António Luís Catarino às 00:33

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 20 de Maio de 2005

SITUAÇÃO I

BDimages.jpg

Ultrapassar todas as barreiras até ao Desconhecido. A utopia que, logo ao alcance de nós, se torna emergente numa outra - até ao espaço. Há gente que não consegue. Não tem estômago. Aqui, sim, é para tentar sempre.
publicado por António Luís Catarino às 00:21

link do post | comentar | favorito
|

À DERIVA, mas com rumo.

derivaimages.jpg

Um dos primeiros estudos do comité psicogeográfico de Paris. Creio ser a marcação das viagens de um jovem trabalhador em Paris, durante 12 meses, nos anos 60. Palavra-chave: tédio.
publicado por António Luís Catarino às 00:17

link do post | comentar | favorito
|

FOGO!

paris68.jpg

Tenho para mim que, hoje, qualquer situação levemente parecida com esta seria reprimida duramente. Como em 68 não chegou a ser, possivelmente porque não estavam preparados para o que estavam a ver. Hoje, não - o Estado espera tudo de nós. Mesmo os jogos de prazer.
publicado por António Luís Catarino às 00:12

link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Maio de 2005

KAMIAKEN

kamiaken.jpg
O rosto possível de um guerreiro índio que deu nome a este blogue. Foi morto, também ele, pelos americanos. A biografia está disponível em italiano. Efeitos da globalização.

Il padre dì Kamiaken era un Nez-Percé di nome Yayayahela e sua madre Kaemoxnith la figlia del capo Yakima, Weowicht. Qualche anno dopo la madre fece ritorno con il ragazzo nella terra della sua tribù. Qui Kamiaken, ancora giovane, poteva contare già su un considerevole numero di cavalli, una vera ricchezza. Imparò a sfruttare gli incontri con i bianchi a proprio vantaggio, per esempio imparando ad allevare bovini, impiantare un giardino e a coltivare con cura. Come Seattle, anche Kamiaken aveva un atteggiamento amichevole con i bianchi e conversava volentieri con i missionari. Fu purtroppo il comportamento degli Americani, in particolari dei coloni e dei cercatori d'oro, che si atteggiavano a padroni del paese, a trasformare i sentimenti d'amicizia di Kamiaken - nel frattempo divenuto capo degli Yakima - in ostilità. Come primo atto, respinse nettamente la richiesta del governatore Stevens di vendergli la terra degli Yakima. La maggior parte dei capi delle tribù coinvolte dal progetto del governatore, condivise l'opinione di Kamiaken che, sempre più, era considerato la grande guida spirituale delle tribù del territorio di Washington e dell'Oregon. Durante le trattative di Walla Walla vi furono scontri anche violenti. Molti anni dopo Weninock, figlio di un altro capo Yakima, ricordava questa che era stata la più grande riunione degli Indiani del Nord-Ovest.
publicado por António Luís Catarino às 17:43

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.Janeiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Os jornais descem de audi...

. Morte de Pinochet

. Ruben de Carvalho e o mal...

. Bolas de ténis no ar

. Archie Shepp na Casa da M...

. Ratzinger ou Bento XVI, v...

. Consensos deste país

. A Bela e o Major

. A Liga

. Incompreensões

.arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.mais sobre mim

.subscrever feeds