Domingo, 16 de Abril de 2006

Um anarquista que não gosta de livros.

As Rolas de Bakunine, Deriva 2006

Um livro como as Rolas de Bakunine, de Antón Riveiro Coello, foi comentado por um anarquista. Que não. Não podia ser: um livro anarquista não podia ser subsidiado pela Xunta de Galicia. Não me bastou argumentar que o livro não era anarquista. Era sobre anarquistas galegos, daqueles que deram a vida por um ideal. Que o autor não era anarquista. que eu não era anarquista. A decisão estava tomada, contudo, por ele. Iria à sua livraria de referência, roubaria os livros e mandá-los-ia para o lixo. Valeria a pena argumentar qual a simbologia de um livro deitado ao lixo?

publicado por António Luís Catarino às 16:32

link do post | comentar | favorito
|

.Janeiro 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Os jornais descem de audi...

. Morte de Pinochet

. Ruben de Carvalho e o mal...

. Bolas de ténis no ar

. Archie Shepp na Casa da M...

. Ratzinger ou Bento XVI, v...

. Consensos deste país

. A Bela e o Major

. A Liga

. Incompreensões

.arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.arquivos

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

.mais sobre mim

.subscrever feeds